PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Câmara decide manter salário e assistência médica de Rocha Loures

Mesa Diretora entende que deputado investigado está afastado temporariamente da Casa
Fábio Barbosa  |  25/05/2017 08:24
noticia Câmara decide manter salário e assistência médica de Rocha Loures
noticia Câmara decide manter salário e assistência médica de Rocha Loures

A mesa diretora da Câmara dos Deputados decidiu manter o salário de R$ 33.763,00 e o plano de saúde do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). A decisão foi tomada durante reunião na tarde desta quarta-feira (24). A direção da Casa decidiu manter o vencimento até que se encerre o processo contra ele na Justiça.

O STF afastou Loures do mandato após pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) com base na delação de um dos donos da JBS, Joesley Batista, e de outros executivos ligados a J&F.

"Nos reunimos para decidir como deliberaríamos sobre o afastamento dele, já que isso não é previsto em lei. Afastá-lo é um ato novo, como tem sido feito pelo STF", explicou o 1º secretário da Mesa, o deputado federal Fernando Lúcio Giacobo (PR-PR).

Segundo ele, foi adotado o mesmo procedimento quando o então deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi afastado, mas teve seu salário mantido. Mais tarde, ele teria seu mandato cassado pela Casa no ano passado.

"Cortamos tudo dele [Loures] e não foi dada posse ao suplente, para não gerar um novo salário na folha de pagamento. Não houve vacância no cargo. Somos obrigados por lei a pagar o salário [dele]. É como no caso de um juiz afastado, que não atua mas fica recebendo salário", afirmou Giacobo.

Loures já havia perdido na semana passada o direito à cota para exercício da atividade parlamentar de R$ 38.871,86, destinado ao pagamento de despesas como passagens aéreas, telefonia, serviços postais, manutenção de escritórios, alimentação, hospedagem, despesas com locomoção, consultoria técnica, segurança e participação em eventos ligados à atividade parlamentar uma vez que está fora do mandato.

Seu gabinete, localizado no anexo 4 da Câmara está fechado. Além disso, Loures também deixou de receber o auxílio-moradia no valor de R$ 4.253,00.
A mala da propina

Em uma ação controlada organizada pela PGR (Procuradoria-Geral da República), o deputado afastado foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil do diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud. Ele foi flagrado na noite de 24 de abril, em São Paulo, saindo apressado do estacionamento de uma pizzaria nos Jardins, na zona sul da capital, carregando uma mala preta com os R$ 500 mil em dinheiro vivo.

Vídeo mostra deputado ligado a Temer recebendo propina

A ação controlada tinha a intenção de comprovar a informação repassada pela JBS aos procuradores federais de que Rocha Loures, um dos auxiliares mais próximos de Temer, recebia propinas. Os procuradores suspeitam que Temer também fosse um dos beneficiários da propina. A PGR chegou a pedir a prisão de Loures, mas ela foi negada pelo STF.

Rocha Loures e o presidente Michel Temer são alvos de um inquérito que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal) que apura a suposta prática de obstrução de Justiça e corrupção passiva.

Loures é suspeito de ter recebido propina da JBS para viabilizar nomeações e operações de interesse da companhia. Temer, por sua vez, é suspeito de ter indicado Loures ao empresário Joesley Batista para que ele intercedesse em favor de Joesley em assuntos de interesse do grupo.

O deputado afastado devolveu nesta terça-feira (24) a mala dos R$ 500 mil da JBS.

UOL

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas