PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Léo Johnson, filho de Johnson Abrantes, morre aos 38 anos em João Pessoa

A família marcou o enterro para às 9h da manhã dessa quinta-feira, em João Pessoa
Fábio Barbosa  |  14/06/2017 12:28
noticia Léo Johnson, filho de Johnson Abrantes,  morre aos 38 anos em João Pessoa
noticia Léo Johnson, filho de Johnson Abrantes,  morre aos 38 anos em João Pessoa

O jovem bacharel em Direito Leo Johnson, de apenas 38 anos, faleceu na manhã desta quarta-feira (14) em um hospital particular de João Pessoa. De acordo com informações de familiares, ele foi internado na segunda-feira (12) com fortes dores abdominais.

Já no hospital foi detectada uma infecção comprometendo os rins. Leo foi levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora das Neves em estado grave. Ele chegou ainda a passar por hemodiálise e outros tratamentos, mas não resistiu e acabou falecendo.

Leo Johnson é filho de Johnson Abrantes e irmão de Edward Abrantes, ambos advogados. Ele era casado e deixa dois filhos.

Atualmente Leo Johnson trabalhava no gabinete do senador Raimundo Lira, como assessor jurídico. Ele também já havia trabalhado como advogado de Cássio Cunha Lima na época em que foi governador da Paraíba.

Sepultamento - O velório acontece na capital João Pessoa, onde ocorrerá o enterro às 9h da manhã dessa quinta-feira (15).

Click PB

  • Leia nota da família

“Leo Johnson, meu irmão, sentiu fortes dores abdominais durante o dia de ontem, que se intensificaram por volta das 23hs. Foi levado ao hospital Nossa Senhora das Neves, onde chegou com uma baixíssima pressão arterial. Foi constatado um quadro de infecção, comprometendo os rins, dando-se início a uma hemodiálise agora visando restabelecer a urina. O quadro é estável, mas continua grave. O hospital está dando toda a assistência e o médico intensivista que o está acompanhando, Dr Paulo César Gottardo, é competentíssimo, estando em tempo integral ao seu lado. Não procedem as notícias de infarto ou hemorragia, como também não há planos para remoção para outro centro, até porque a situação atual não recomenda. Não estou conseguindo atender as inúmeras ligações dos amigos, sobretudo os de Léo, porque estamos em constante oração. Rogo a todos que façam o mesmo. Confiamos plenamente no poder de Deus e no estabelecimento do nosso querido Leo. Obrigado pelo apoio de todos. EDWARD JOHNSON”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores