PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Condenada a 16 anos por mandar matar o marido é presa na PB

Mulher é condenada a 16 anos de prisão e estava foragida
Fábio Barbosa  |  08/07/2017 18:25
noticia Condenada a 16 anos por mandar matar o marido é presa na PB
noticia Condenada a 16 anos por mandar matar o marido é presa na PB

Policiais civis da 2ª Delegacia Distrital de Guarabira, no Agreste da Paraíba, cumpriram, na manhã desta sexta-feira (7), o mandado de prisão contra Elizabeth Cavalcante Feitosa de Brito, 55 anos. Ela foi condenada pela Justiça a 16 anos de prisão em regime fechado pelo crime de homicídio qualificado. Elizabeth estava foragida desde a sua condenação pelo 1º Tribunal do Júri em 2012.

De acordo com os registros policiais, o crime aconteceu em 2002, no bairro de Manaíra, em João Pessoa, e contou a participação de outras pessoas. Ela teria encomendado o assassinato do marido, Edilson Lucas de Barros, elaborando um plano que simulou um assalto. No dia do homicídio, Elizabeth caminhava pela Av. Guarabira com a vítima, quando os dois foram abordados pelos executores simulando um assalto.

Os investigadores da 2ª Delegacia Distrital de Guarabira chegaram até a foragida da Justiça quando investigavam uma ligação anônima feita para o Disque Denúncia da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Sesds). A pessoa que ligou para o número 197 disse que Elizabeth estava morando em Guarabira. Os policiais foram até o local indicado, mas a investigada não estava mais na cidade.

A polícia continuou monitorando os passos de Elizabeth, realizando diligências, tanto na cidade em Guarabira quanto em João Pessoa, para conseguir encontrar o local onde ela estava residindo e foi o que aconteceu nesta sexta-feira, após uma vigilância no bairro do Centro na Capital paraibana, quando os policiais conseguiram capturar Elizabeth que foi levada à Central de Polícia no Geisel.

Elizabeth Cavalcante Feitosa Brito foi ouvida e encaminhada para a carceragem da Central e está aguardando pela audiência de custódia, depois ela será levada para o Presídio Feminino Julia Maranhão no bairro de Mangabeira.

Polícia Civil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores