PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Em caso raro, duas mães têm trigêmeos em maternidade no Sertão

Toda gravidez múltipla é de alto risco, especialmente se houverem mais de duas crianças
Fábio Barbosa  |  17/07/2017 14:44
noticia Em caso raro, duas mães têm trigêmeos em maternidade no Sertão
noticia Em caso raro, duas mães têm trigêmeos em maternidade no Sertão

Dona Rosenilda conta que bem antes disso, ainda no pré-natal, quando descobriu que seria mãe de três bebês, a surpresa foi imensa. Ela mora na zona rural de Curral Velho, na Paraíba e está desempregada. Pelos próximos dez meses receberá um auxílio, mas conta que não sabe como será a vida depois disso.

“Eu ensino em uma escola com contrato temporário. Meu marido não tem emprego fixo e isso assustou um pouco, mas sei que posso contar com o apoio da minha família e dos meus amigos que, inclusive, já fizeram chá de bebê para receber doações para os meninos. Vamos conseguir criá-los porque temos muito amor e forças para superar as dificuldads”, conta.

MaeO nascimento de trigêmeos mexeu também com a rotina da família da senhora Marta, que está há 45 dias morando na Maternidade Peregrino Filho, em Patos.

E para a Rosenilda, a surpresa dos trigêmeos: João Miguel, Lucas Gabriel e Marcos Rafael, foi imensa, para a Marta não foi diferente. Tímidas, elas se maquiaram todas para a entrevista. “Eu disse ao médico que ele estava mentindo. Mas, só depois que eu ouvi os batimentos dos corações deles, é que acreditei. Eu perguntei como diria a notícia ao meu marido. O médico explicou que eu falasse logo sobre o menino, quando ele dissesse que estava tudo ‘ok’, ai você consta dos outros dois filhos. Assim eu fiz, e meu marido quase caía pra trás, mas aceitou e está muito feliz”, relatou.

A Marta, assim como a Rosenilda, é uma mulher como muitas. Mas o nascimento dos trigêmeos, as tornou conhecidas pela raridade do parto delas.

De acordo com o diretor clínico da Maternidade de Patos, Dr. Paulo Athayde, toda gravidez múltipla é de alto risco, especialmente se houverem mais de duas crianças. “Hoje, com os avanços da Medicina e seguindo as orientações necessárias para o adequado desenvolvimento dos fetos é possível que a gestação prossiga sem maiores transtornos. É claro que muito disso se deve a mãe e a assistência que ela recebe durante esse período. O pré-natal bem feito, especialmente, nestes casos, faz toda a diferença. A mulher que espera gêmeos, por exemplo, deve redobrar os cuidados com a alimentação e se manter bem hidratada”, lembra o médico.

No Brasil não há estimativas oficiais sobre a taxa de natalidade de gêmeos. Dados mais recentes de estatísticas vitais, disponíveis no DATASUS, mostram que no ano de 2012 nasceram vivos 58.571 pares de gêmeos e múltiplos no país. Desse total: 57.138 foram de pares de gêmeos, representando 19,7% de todos os nascimentos e 1.433 trigêmeos e outras ordens de múltiplos, representando 0,05% de todos os nascimentos. Na região Nordeste, a taxa de nascimento de gêmeos pares e múltiplos é de 18 nascimentos a cada 1.000 habitantes.

Quem quiser ajudar as novas mamães de trigêmeos, pode ligar para a Maternidade Peregrino Filho pelo telefone: (83) 3421-5252.

Patos Online

PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas