PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Na volta aos gramados, goleiro Bruno faz pênalti e leva cartão amarelo

Ele foi ovacionado pela torcida com gritos de 'é o melhor goleiro do Brasil
Fábio Barbosa  |  08/04/2017 21:06
noticia Na volta aos gramados, goleiro Bruno faz pênalti e leva cartão amarelo
noticia Na volta aos gramados, goleiro Bruno faz pênalti e leva cartão amarelo

A volta do goleiro Bruno ao futebol terminou empatada. Neste sábado, na estreia do Boa Esporte no hexagonal final do Campeonato Mineiro, equivalente à segunda divisão estadual, o time de Varginha ficou no empate por 1 a 1 com o Uberaba, no estádio Melão. O goleiro cometeu o pênalti que rendeu ao time visitante o seu gol na partida. Ele levou cartão amarelo na jogada.

Diante de um público de 1.772 pessoas — muitas delas com a camisa do Flamengo —, Bruno não conseguiu evitar o empate em 1 a 1. Pelo contrário. Teve participação direta na construção do placar. Aos 28 minutos do segundo tempo, ele cometeu pênalti e ainda levou o cartão amarelo. E por pouco não entregou o ouro aos 48, quando rebateu uma bola chutada de longe e quase a deixou sobrar para um atacante do Uberaba.

Bruno foi muito aplaudido pela torcida local quando entrou em campo para fazer o aquecimento. No intervalo do jogo, depois de uma atuação tranquila, foi ovacionado sob os gritos de: “É o melhor goleiro do Brasil!”

Mas ao fim da partida, Bruno não quis saber de conversa. Com cara fechada, de pouquíssimos amigos, deixou o gramado resmungando muito, às pressas, e não quis falar com as dezenas de jornalistas que o cercaram.

O Boa disputa o hexagonal final do Campeonato Mineiro e precisa ficar entre os dois primeiros colocados para obter uma vaga na primeira divisão em 2018. No Campeonato Brasileiro, o time está na Série B e estreia em maio contra o Vila Nova-GO.

O CASO BRUNO

Em 2010, quando era um dos destaques do Flamengo, Bruno foi preso e depois condenado por assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, sua amante, e por sequestro e cárcere privado de Bruninho, seu filho, o que lhe rendeu uma pena de 22 anos e 3 meses.

Porém, no final de fevereiro, Bruno foi colocado em liberdade por decisão de Marco Aurélio Mello, ministro do Superior Tribunal Federal, em decisão de caráter liminar, enquanto aguarda o julgamento do seu recurso contra a condenação. O goleiro, então, foi contratado em março pelo Boa, que além de disputar o Módulo II do Campeonato Mineiro, também vai participar da Série B do Campeonato Brasileiro.

A polêmica contratação de Bruno provocou a saída de vários patrocinadores do clube e também vários protestos em Varginha. Mas o goleiro também recebeu o carinho de torcedores, como também foi visto na tarde deste sábado no Melão, que recebeu 1 772 pessoas, um público baixo, mas bem acima da média do time nos seus últimos compromissos.

O DIA

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas