PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Brasileira Cyborg nocauteia americana e conquista o cinturão peso pena

Depois de muitos anos de espera, a curitibana escreveu seu nome na história do esporte
Fábio Barbosa  |  30/07/2017 08:42
noticia Brasileira Cyborg nocauteia americana e conquista o cinturão peso pena
noticia Brasileira Cyborg nocauteia americana e conquista o cinturão peso pena

Dia 29 de julho de 2017, Anaheim, Estados Unidos. Essa foi a data e local em que Cris Cyborg, enfim, entrou para o seleto grupo de campeões do UFC. Depois de muitos anos de espera, a curitibana escreveu seu nome na história do esporte ao nocautear Tonya Evinger ao 1m53s do terceiro round, triunfo que lhe rendeu o cinturão peso pena feminino da organização, em duelo que compôs o card principal do UFC 214.

Com uma atuação agressiva, como lhe é de costume, Cyborg não deu chances para Tonya, provando, mais uma vez, o motivo pelo qual é considerada por muitos como a melhor lutadora de MMA de todos os tempos. Essa foi a 18ª vitória da carreira da brasileira, (16ª por nocaute), que está invicta há 12 anos. Ela ainda tem uma derrota – em sua primeira luta como profissional – e uma luta sem resultado. No Ultimate, já são três resultados positivos, o primeiro em sua divisão de origem – os dois primeiros foram em peso casado, até 63,5kg.Tonya, por sua vez, que estreou na franquia, amargou a sexta derrota de seu cartel, que ainda conta com 19 triunfos e um no contest.

“Muita coisa aconteceu na minha carreira, anteseu estava completamente louca no octógono, masagora aprendi a trabalhar com calma. Estou muito feliz por sair com o cinturão”, declarou Cyborg, em entrevista ainda no octógono.

A luta

Cyborg, como sempre, começou o duelo pressionando a rival, conectando fortes golpes na norte-americana, que sentiu. Evinger passou a circular no octógono, fugindo do raio de ação da brasileira. Tonya clinchou e conseguiu uma queda, mas Cris rapidamente levantou. A brasileira alegou ter recebido uma dedada no olho, interrompendo o combate. Após se recuperar, Cyborg voltou ‘caçando’ Tonya, mas não conseguiu ser contundente. A curitibana, mais uma vez, balançou a rival após acertar uma boa combinação de golpes, mas a americana demostrou raça o suficiente para sobreviver ao primeiro round.

A segunda etapa começou com as duas se estudando, mas por pouco tempo. Cris acertou um bom golpe de queda em Tonya, que absorveu bem. Cyborg passou a ser mais cautelosa, arriscando poucos. Investindo nos chutes baixos, Cyborg seguia pontuando mais, porém sem muita efetividade. O ritmo seguiu o mesmo até o fim, com a brasileira pressionando a rival.

Cyborg voltou mais agressiva para a terceira etapa, conectando um forte golpe de direita em Tonya, que sentiu. Na sequencia, um chute alto derrubou a americana, que rapidamente voltou a ficar em pé. A curitibana seguiu perseguindo a rival, até que conectou uma forte sequênciade golpes em Evinger, que dessa vez não resistiu, sofrendo seu primeiro nocaute na carreira.

Sem lutar desde julho de 2016, quando perdeu o cinturão dos meio-médios (até 77kg) ao ser nocauteado por Tyron Woodley, Robbie Lawler voltou ao octógono com o pé direito. Com a postura agressiva de sempre, Ruthless derrotou Donald Cerrone por decisão unânime dos juízes (triplo 29×28), após 15 minutos de um combate violente e cheio de reviravoltas. Essa foi a 12ª vitória de Lawler no Ultimate, enquanto Cerrone perdeu a segunda seguida nos meio-médios, categoria na qual ainda soma quatro vitórias.

Volkan Oezdemir aplica nocaute relâmpago em Jimi Manuwa

Fulminante! Assim pode ser definida a vitória do meio-pesado Volkan Oezdemir, que não tomou conhecimento de Jimi Manuwa e nocauteou o inglês com apenas 42 segundos de luta, em duelo que abriu o card principal. Essa foi a terceira vitória em três lutas do suíço no UFC, que tem uma ascensão meteórica na companhia: em cinco meses, foi do anonimato ao 5º lugar da divisão até 93kg. Manuwa, por sua vez, perdeu a terceira em nove lutas na companhia, tendo interrompida uma sequência de dois triunfos.

CARD PRINCIPAL

Peso meio-pesado: Jon Jones derrotou Daniel Cormier por nocaute técnico aos 3m10s do R3

Peso meio-médio: Tyron Woodley venceu Demian Maia por decisão unânime (50×45, 2x 49-46)

Peso pena: Cris Cyborg derrotou Tonya Evinger por nocaute técnico aos 1m53s do R3

Peso meio-médio: Robbie Lawler derrotou Donald Cerrone por decisão dos juízes (29×28, 29×28, 29×28)

Peso meio-pesado: Volkan Oezdemir derrotou Jimi Manuwa por nocaute técnico aos 42s do R1

CARD PRELIMINAR

Peso pena: Ricardo Lamas derrotou Jason Knight por nocaute técnico aos 4m34s do R1

Peso casado (63,5kg): Aljamain Sterling derrotou Renan Barão por decisão unânime dos juízes (29×28, 29×27, 30×26)

Peso pena: Brian Ortega derrotou Renato Moicano por finalização (guilhotina) aos 2m59s do R3

Peso pena: Calvin Kattar derrotou Andre Fili por decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27, 30×27)

Peso palha: Alexandra Albu derrotou Kailin Curran por decisão unânime dos juízes (29×28, 29×28, 29×28)

Peso mosca: Jarred Brooks derrotou Eric Shelton por decisão dividida dos juízes (29×28, 28×29, 29×28)

Peso leve: Drew Dober derrotou Josh Burkman por nocaute aos 3m04s do R1

Super Lutas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores