PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Alunos de medicina em foto obcena podem ser expulsos de universidade

Nas imagens, alunos também fazem gesto que simula a genitália feminina. CRM se reuniu com faculdade e sugeriu punição
Fábio Barbosa  |  12/04/2017 04:42
noticia Alunos de medicina em foto obcena podem ser expulsos de universidade
noticia Alunos de medicina em foto obcena podem ser expulsos de universidade

Os estudantes de medicina que aparecem em uma polêmica foto que começou a circular nas redes sociais na segunda-feira (10) podem ser expulsos da universidade onde concluem o curso, em Vila Velha. Segundo a instituição de ensino, a decisão sobre a punição aos estudantes será tomada após a conclusão de uma sindicância, aberta na segunda-feira, que tem como objetivo apurar a conduta dos envolvidos e cujo prazo de conclusão é de 30 dias úteis.

De acordo com a Universidade de Vila Velha (UVV), os alunos estão sujeitos a três tipos de punição: advertência escrita e verbal, suspensão de três a cinco dias ou o desligamento da instituição. Ainda segundo a UVV, a comissão de sindicância é composta por profissionais da própria instituição.

A imagem que resultou na abertura da sindicância mostra sete rapazes trajados com jalecos da universidade e até um estetoscópio no pescoço. Porém, o grupo aparece com as calças abaixadas e fazendo um gesto com as mãos, simulando uma genitália feminina. A ação dos futuros médicos causou indignação de vários internautas nas redes sociais.

Na tarde desta terça-feira (11), foi realizada uma reunião entre os estudantes envolvidos na polêmica foto, representantes da UVV e do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES). A assessoria de comunicação da universidade explicou que o objetivo do encontro era somente alertar os estudantes sobre a gravidade da atitude deles e as consequências que eles poderão sofrer e ouvir a versão deles sobre os fatos.

O presidente do CRM-ES, Carlos Magno Pretti, participou da reunião. Segundo ele, os alunos, que estão no último período de Medicina e devem se formar no meio do ano, alegaram que não tiveram a intenção de divulgar as fotos nas redes sociais e que estão muito chateados com tudo o que aconteceu.

"Eles disseram que foram convocados para fazer as fotos do convite da formatura e que em determinado momento, ao final da sessão de fotos, alguém teve a ideia de fazer uma foto 'engraçada'. A foto foi feita por um dos presentes, mas a intenção inicial, segundo os estudantes, era manter a foto só entre eles. Mas alguém postou a imagem nas redes sociais e causou toda essa polêmica. Eles disseram que estão muito incomodados com a situação que se formou, demonstraram arrependimento e disseram que estão sofrendo muita pressão por parte de familiares", disse Pretti.

Ainda de acordo com o presidente do CRM-ES, a atitude dos estudantes não interfere na retirada do registro profissional deles, que ocorrerá assim que eles concluírem o curso.

"Não existe possibilidade de eles não conseguirem o registro profissional por causa desse fato. Nós não temos poder punitivo sobre acadêmicos. Isso é responsabilidade da instituição. Uma vez formados, eles poderão dar entrada no registro profissional deles normalmente. Agora, se essa situação acontecesse com profissionais formados, eles responderiam a procedimento interno e poderiam ter o registro cassado", explicou.

Folha de Vitória

PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas