PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Nadador paraibano é promessa do Brasil para Olimpíadas de 2024

Gabriel decidiu praticar o esporte quando criança porque tinha problemas de saúde
Fábio Barbosa  |  03/09/2017 16:06
noticia Nadador paraibano é promessa do Brasil para Olimpíadas de 2024
noticia Nadador paraibano é promessa do Brasil para Olimpíadas de 2024

Aos 18 anos, Gabriel Dantas coleciona medalhas de todas as cores, conquistadas em diversas competições na Paraíba e no Brasil, e agora, na sua primeira participação internacional o paraibano de Campina Grande, que mora em João Pessoa há um ano desembarcou da sua primeira participação internacional com o total de nove medalhas. Não à toa, é considerado uma das principais promessas do esporte para os Jogos Olímpicos de 2024, em Paris, na França.

Gabriel decidiu praticar o esporte quando criança porque tinha problemas de saúde: “Eu tinha bronquite e comecei mesmo para melhorar a respiração. Depois passei a gostar e hoje a prática é uma realidade pra mim.” Hoje, quase 10 anos depois, ele foi o destaque da Seleção Brasileira na 37ª Copa Pacífico de Natação, que aconteceu no período de 14 a 28 de agosto, na cidade de Sucre, capital da Bolívia.

“A competição foi mais do que eu esperava. Esse ano eu sonhava apenas com a convocação e, fui para o torneio sem pensar em medalha. Foi tudo uma surpresa, eu não sabia do meu nível, só que depois dessas conquistas vejo que seu continuar treinando forte, poderei chegar mais longe.”

Na Copa, Gabriel sagrou-se campeão no 100m peito na categoria e no absoluto, 200m medley e 200m peito. Foi segundo colocado no 100m costas e absoluto, além dos 200m medley. Para completar, garimpou a terceira posição no revezamento 4x100 medley e misto. Para o técnico Stefano Vieira, os resultados são provas de que Gabriel está no caminho certo.

Fã de Michael Phelps, o atleta que conquistou o maior número de medalhas douradsa numa única edição dos Jogos Olímpicos, oito no total, e, Ryan Murphy (ouro nos 100 costas, nos Jogos do Rio-2016). O atleta do Acqua R1 quer mesmo é fazer sua história, mas com o foco em dois estilos.

“Eu não um ídolo certo, mas gosto muito da forma com que o Michal e o Ryan nadam, e como tenho índice para os quatro estilos, vou procurar evoluir mais no peito, costas e medley.”

Portal Correio

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE