PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Protesto de caminhoneiros pode deixar Paraíba sem combustível

Empresas Docas busca solução para a demanda dos caminhoneiros
Fábio Barbosa  |  05/09/2017 15:52
noticia Protesto de caminhoneiros pode deixar Paraíba sem combustível
noticia Protesto de caminhoneiros pode deixar Paraíba sem combustível

A presidente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Timóteo, teme que a paralisação dos caminheiros de transporte de combustíveis deflagrada nesta terça-feira (5) em protesto contra a empresa TECAB - responsável pela mistura do álcool anidro com a gasolina - possa afetar o abastecimento na Paraíba. “Pode afetar sim. É um dos riscos”, declarou Gilmara que se reúne ainda hoje com representantes da empresa que funciona dentro do Porto para buscar solução para a demanda dos caminhoneiros.

Independe, do fim da paralisação que pode ocorrer ainda hoje, a presidente da Docas Paraíba, solicitou que o Ministério Público e Agência Nacional do Petróleo (ANP) investiguem a denúncia dos caminhoneiros, entre as quais, a diferença no aferimento entre o Porto de Suape e a TECAB.

De acordo com Gilmara, com o resultado da investigação em mãos, a empresa responsável pela mistura dos combustíveis pode sofrer sanções se houver qualquer anomalia na pesagem, que pode acontecer por falta de regulagem No maquinário de pesagem. “Se for comprovado à denúncia a empresa pode enfrentar um processo administrativo e a pena mais grave pode achegar a rescisão contratual para operar”, destacou.

Gilmara Timóteo informou que as operações no Porto de Cabedelo continuam normalmente, inclusive navios que transportam combustíveis estão descarregando no local e encaminhando aos terminais. “O porto está descarregando um navio com 12 mil m3 de gasolina”.

Click PB

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores