PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Motorista é indiciado em acidente que matou cantora paraibana

Inquérito concluiu que ele foi o único culpado pelo acidente que deixou outras três pessoas feridas, incluindo o próprio motorista
Fábio Barbosa  |  14/09/2017 00:00
noticia Motorista é indiciado em acidente que matou cantora paraibana
noticia Motorista é indiciado em acidente que matou cantora paraibana

O motorista Clebton José dos Santos foi indiciado por homicídio culposo no inquérito que investigou um acidente automobilístico que provocou a morte da cantora de forró Elisa Clívia, ex-vocalista da banda Cavaleiros do Forró, e o namorado dela, Sérgio Ramos, ocorrido em 16 de junho deste ano. A titular da Delegacia de Delitos de Trânsito, Daniela Lima, disse que ele foi o único culpado pelo acidente que deixou outras três pessoas feridas, incluindo o próprio motorista. O Palio dirigido por Clebton colidiu com um ônibus.

Motorista foi indiciado por homicídio doloso de trânsito e lesão corporal dolosa de trânsito porque assumiu o risco do acidente no momento em que desobedeceu a sinalização de trânsito

“Haverá indiciamento de Clebton José dos Anjos pelo delito do artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro por homicídio culposo de trânsito e lesão corporal culposa de trânsito, uma vez que a perícia técnica concluiu que a causa determinante do acidente foi a entrada inopinada do veículo pálio da via e concluiu também que a velocidade do ônibus estava em desconformidade com a via; mas ainda que o ônibus estivesse na velocidade adequada o acidente aconteceria. Por isso, a gente fez o indiciamento do motorista do veículo de passeio”, afirmou a delegada.

Segundo a delegada, Clebton não obedeceu essa sinalização e “sobretudo não obedeceu a prioridade das vias quando ele deveria aguardar o fluxo da via que tinha prioridade para fazer a travessia em segurança. Essa foi a falta do dever de cuidado que acometeu o senhor Clebton, em razão disso ele é o responsável pelo acidente, mas os peritos fizeram o registro de que a forma de fixação não era a mais adequada, mas a sinalização estava presente”, completou.

Só Sergipe

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE