PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Caixa 2: José Maranhão acredita na inocência de Cássio

Para Maranhão o valor recebido na ordem de R$ 800 mil foi contabilizado
Fábio Barbosa  |  14/04/2017 16:51
noticia Caixa 2: José Maranhão acredita na inocência de Cássio
noticia Caixa 2: José Maranhão acredita na inocência de Cássio

O senador José Maranhão disse hoje em entrevista, direto de Brasília, que anda perplexo e altamente preocupado com o desdobramento dá lista da Odebrecht atingindo tantas autoridades importantes do País, a partir do núcleo central do Governo Temer.

– Precisamos de uma solução mais rápida possível porque os efeitos são muito danosos para todo o País – afirmou Maranhão, ressaltando que “a situação é muito grave e exige dos senhores ministros uma solução em curto prazo porque senão é um caos”.

ESSÊNCIA PODRE – Para o senador, está comprovado que havia um sistema de troca de dinheiro e apoio eleitoral por obras superfaturadas. Ele acha, inclusive, que se estende aos estados e municípios.

– Como está comprovado, as empresas pagavam as campanhas em troca de obras com valores duas, três vezes mais altas do que o valor real e esta conta era a sociedade quem bancava – argumentou.

FINANCIAMENTO PÚBLICO – O senador disse que será preciso encontrar uma solução fora do financiamento privado já que agora ninguém mais vai querer bancar.

– Precisamos ver como o Tribunal Superior Eleitoral vai ter condições de bancar as eleições com recursos públicos e uma distribuição correta e proporcional – argumentou.

CASO CÁSSIO – Maranhão disse que leva em conta a argumentação do senador Cássio Cunha Lima de que o valor recebido na ordem de R$ 800 mil foi contabilizado.

– Se foi assim, como ele garante ter sido, não se pode tratar como propina – frisou. Ele disse também acreditar no senador paraibano.

WSCOM

PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas