PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Vestida de demônio, drag queen conta histórias para crianças nos EUA

A iniciativa foi parte do 'mês da história LGBT', na Biblioteca do Bairro de Michelle Obama, em Long Beach (EUA).
Fábio Barbosa  |  22/10/2017 10:59
noticia  Vestida de demônio, drag queen conta histórias para crianças nos EUA
noticia  Vestida de demônio, drag queen conta histórias para crianças nos EUA

Uma biblioteca pública da Califórnia está sendo amplamente criticada pelos cristãos e elogiada por satanistas por realizar sessão de uma hora de histórias infantis, com uma drag queen vestida como um demônio de cinco chifres.

A iniciativa foi parte do mês da história LGBT, na Biblioteca do Bairro de Michelle Obama, em Long Beach. Durante a sessão, a drag queen Xochi Mochi contou histórias para crianças em um sábado, segundo informou o jornal 'The Blaze'.

A biblioteca publicou uma foto de Mochi contando uma história para as crianças. A foto gerou inúmeros protestos e foi removida do perfil oficial da Biblioteca no Instagram, mas por ter viralizado rapidamente, muitos internautas acabaram fazendo capturas de tela para comentar o caso na internet.

Vários residentes locais e pais ficaram indignados com o fato de que o evento tenha sido permitido.

A afiliada da CBS em Los Angeles informou na última segunda-feira (16), que o deputado republicano Omar Navarro perguntou: "O que estamos ensinando às crianças na escola? Ensinamentos demoníacos vivos em Long Beach. Estou indignado que tenham permitido isso".

O editor conservador norte-americano Rod Dreher, autor de 'The Benedict Option', opinou em seu blog na terça-feira: "Lembre-se, os bibliotecários públicos convidaram esse lunático para ler livros para crianças. E os pais escolheram enviar seus filhos para ouvi-lo".

"Não, não há nada de errado com essa nossa cultura", acrescentou o editor, sarcasticamente.

Mochi, no entanto, ficou feliz pela oportunidade, descrevendo isso no Instagram como "uma das melhores experiências que teve drag queen".

"É tão importante ter representação e normalizar todas as letras em LGBTQIA + no cotidiano. Eu vi tantos rostinhos animados e isso encheu meu coração com tanta alegria. Espero voltar em breve", Mochi escreveu.

Alguns comentaristas elogiaram Mochi, como um dos quais respondeu: "Muito obrigado por ter vindo à biblioteca, ler para crianças e ser MARAVILHOSA!".

Em uma entrevista para o blog 'The Drag Enthusiast', em dezembro de 2015, Xochi Mochi descreveu-se como "um palhaço assassino do espaço", que "encarna diferentes palhaços culturais como o tradicional 'White Face' americano, o 'Pierrot' francês, o japonês 'Harijuku' e as interpretações sexy de alienígenas com combinações entre si para encarnar um certo aspecto ou emoção".

Da mesma forma, o Twitter do Mochi traz em sua descrição um "alerta": "Atenção, terráqueos: Aqui é Xochi Mochi, seu morador morador palhaço do espaço sideral. Sou uma drag queen e amo tacos".

A Biblioteca Pública de Long Beach contou com a colaboração do Centro LGBTQ de Long Beach, a rede GSA e a Corte Imperial de Long Beach, para sediar o evento. A sessão de histórias com Mochi foi seguida pela apresentação de temas LGBT às crianças com temas, como um workshop de histórias LBGTQ.

Christian Post

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores