PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Futebol americano sai do eixo CG-JP e começa a ganhar o Sertão paraibano

São Bento Snakes reforça o projeto do futebol americano pelo Sertão
Fábio Barbosa  |  22/10/2017 19:53
noticia Futebol americano sai do eixo CG-JP e começa a ganhar o Sertão paraibano
noticia Futebol americano sai do eixo CG-JP e começa a ganhar o Sertão paraibano
Até então dominado pelo futebol (também chamado de 'esporte bretão'), agora um novo futebol começa a dominar o Sertão paraibano. Com iniciativas em Patos e São Bento, a bola oval está começando a dominar os gramados e o futebol americano começa a pedir passagem, iniciando já com um sentimento de rivalidade entre as duas cidades.

De um lado, o Patos Red Dragons e do outro, o São Bento Snakes e um segundo jogo será realizado neste domingo, no estádio José Cavalcanti, que antes era ocupado apenas por Nacional e Esporte de Patos, mas que agora terá um novo esporte movimentando a cidade.

Daniel Nicácio, que jogou na base do João Pessoa Espectros em 2009, decidiu (no seu retorno à Patos) se unir ao pequeno grupo que já praticava o esporte na cidade, ainda como hobbie.

"Antes, o nome do time era Sertão Carcarás e quando tivemos a ideia de profissionalizarmos o time, o nome foi mudado e hoje já estamos projetando uma participação na Conferência Nordeste do Campeonato Brasileiro de Futebol, assim como o João Pessoa Espectros e o Tropa Campina", disse.

A influência do Fantasma paraibano era inevitável, afinal o João Pessoa Espectros é sete vezes campeão paraibano, duas vezes vice-campeão brasileiro e uma vez campeão nacional.

"Tem uma influência do Espectros sim, até porque joguei lá na época da areia, temos atletas que possuem familiares no time de João Pessoa e muita gente do Patos Red Dragons se inspira no Espectros", revelou.

Questionado sobre a realização de um jogo contra algum time mais experiente, Daniel adiantou que a meta agora é somente treinar, para no segundo semestre de 2018, o objetivo de ingressar na Liga Nacional ser concretizado.

"Alguns times quiseram fazer amistoso conosco, mas o nosso foco hoje tem sido outro. Precisamos atender a alguns quesitos básicos para ingressar no cenário nacional do futebol americano e já no segundo semestre de 2018, queremos concretizar isso, dando um passo importante na consolidação do nosso projeto", afirmou.

Em São Bento, terra das redes de dormir, o São Bento Snakes reforça o projeto do futebol americano pelo Sertão. Há pelo menos dois anos, o time treina no estádio Pedrão, palco que recebeu o primeiro duelo envolvendo os dois times, realizado na semana passada.

O placar foi 14 x 10 para o Patos Red Dragons, porém o que valeu mesmo foi a confraternização e o fortalecimento dos dois projetos.



Futebol americano desde os anos 1990

"A minha geração já brincava de futebol americano em Patos". A declaração é do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA) e do João Pessoa Espectros, o patoense Guto Sousa.

Um dos responsáveis pelo processo de organização e modernização da modalidade no país, Guto afirmou que no início da década de 90, ele e alguns amigos já jogavam em quadras ou campos, algo que já se assemelhava ao futebol americano.

"Claro, nada como é hoje, até porque com a influência da NFL, João Pessoa Espectros e outros fatores, o futebol americano hoje tem outro nível. Porém, lá em 91 e 92, nós já praticávamos em Patos o que hoje é o esporte, só que não tinha time e era apenas uma bricadeira", contou.

Experiente na área de gestão esportiva, Guto revelou que nos últimos tempos houve um projeto de formação de uma federação paraibana do esporte, com o intuito exatamente de fortalecer projetos como os que hoje estão acontecendo em Patos e São Bento.

"Fico extremamente feliz em ver que quase 25 anos depois, uma cidade como Patos está formando um time de futebol americano e ainda mais, jogando no José Cavalcanti. Tínhamos o projeto de uma federação paraibana, junto com a Liga Nordestina de Futebol Americano e agora isso pode ser retomado", disse.
 
Correio Online
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores