PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Forçada a se casar, paquistanesa envenena marido e mata outros 12 por engano

Vinte e sete pessoas se serviram do líquido e 13 morreram após bebê-lo, incluindo o marido de Asiya e uma menina de 7 anos
Fábio Barbosa  |  31/10/2017 10:04
noticia Forçada a se casar, paquistanesa envenena marido e mata outros 12 por engano
noticia Forçada a se casar, paquistanesa envenena marido e mata outros 12 por engano

Vítima de um casamento forçado, uma paquistanesa foi detida e acusada de matar 13 pessoas com leite envenenado, que ela havia preparado para matar o marido. O chefe da polícia local, Owais Ahmad, informou que Asiya Bibi, de 20 anos, admitiu ter colocado o veneno em um copo de leite, imaginando que só o companheiro beberia.

A jovem, no entanto, não contava que o marido fosse despejar o leite em uma jarra de lassi, popular bebida do Sul da Ásia à base de iogurte. Vinte e sete pessoas se serviram do líquido e 13 morreram após bebê-lo, incluindo o marido de Asiya e uma menina de 7 anos.

Os quatorze sobreviventes foram hospitalizados, segundo Ahmad. Asiya havia se casado, contra a sua vontade, em setembro, na localidade de Valvati, província de Punjab.

"A polícia prendeu Asiya Bibi, um homem e sua tia, por cumplicidade, e os acusou de assassinato", afirmou o chefe de polícia.

Segndo Ahmad, o homem detido seria amante de Asiya e a tia seria o cérebro do assassinato.

Os casamentos forçados, em particular de menores de idade, são comuns no Paquistão, sobretudo nas províncias pobres e rurais do país, nas quais centenas de mulheres ainda são vítimas a cada ano de assassinatos pela honra.

AFP

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Patrocinadores