PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Internas 3 banner Abaixo Menu

Posto de combustíveis é interditado por risco de explosão

Doze postos foram fiscalizados nesta terça, com problemas encontrados em pelo menos três deles
Fábio Barbosa  |  26/04/2017 11:11
noticia Posto de combustíveis é interditado por risco de explosão
noticia Posto de combustíveis é interditado por risco de explosão

Dois gerentes de postos de combustíveis foram encaminhados para esclarecimentos na Polícia Civil após uma operação promovida por órgãos de defesa do consumidor encontrar diversas irregularidades em postos de João Pessoa, nesta terça-feira (25). Em um dos locais, uma bomba de combustível precisou ser interditada porque estava com rompimentos na mangueira, o que poderia causar uma explosão.

Segundo o coordenador do Programa de Proteção e Defesa do Ministério Público da Paraíba (MP-Procon), promotor Glauberto Bezerra, doze postos foram fiscalizados nesta terça, com problemas encontrados em pelo menos três deles.

“Houve duas conduções de gerentes para a Polícia Civil. Em um dos postos detectados lacres de bombas quebrados e falta de termômetro para o teste de álcool. No outro posto, o local vendia gás de cozinha sem ter licença para promover a comercialização do produto”, afirmou o promotor.

No terceiro posto com problemas, a operação identificou uma bomba de combustível que estava com rachaduras na mangueira.

“Houve um posto que fica na Avenida Amazonas, no Bairro dos Estados, que detectamos rachaduras na mangueira da bomba. A máquina foi interditada porque estava causando perigo aos consumidores, com risco até de explosão. Também colhemos amostras de combustível em outros postos para realização de teste de qualidade”, afirmou o promotor.

Além do MP-Procon, também participaram das fiscalizações policiais civis e militares, profissionais do Corpo de Bombeiros Militar, do Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial da Paraíba (Imec), da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), das Vigilâncias Sanitárias do Estado e do Município de João Pessoa, da Agência Nacional do Petróleo (ANP), do Fisco Estadual, e das Comissões de Proteção Ambiental e do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB).

Portal Correio

PUBLICIDADE