PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Adolescente que estava desaparecida é encontrada morta em Cerejeiras, RO

Investigações apontaram que namorado, o primo e a esposa podem ter envolvimento no crime
Fábio Barbosa  |  27/04/2017 14:22
noticia Adolescente que estava desaparecida é encontrada morta em Cerejeiras, RO
noticia Adolescente que estava desaparecida é encontrada morta em Cerejeiras, RO

A estudante Jéssica Moreira Hernandes, de 17 anos, que estava desaparecida desde quinta-feira (20) foi encontrada morta no fim da tarde de segunda-feira (24), na Linha 4, zona rural de Cerejeiras (RO), a 745 quilômetros de Porto Velho. Conforme a Polícia Militar (PM), o corpo da adolescente estava em estado de decomposição. As causas da morte ainda não foram esclarecidas, e a Policia Civil investiga o caso.

De acordo com a PM, o corpo foi encontrado por duas mulheres que faziam caminhada e sentiram um forte odor. Quando foram verificar, viram o corpo enrolado em uma lona. Ainda segundo informações da polícia, o criminoso teria tentado incendiar o corpo, mas não conseguiu.

Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Cerejeiras tem população estimada em 2016 de 17, 9 mil habitantes. Por ser uma cidade pequena, a população se solidarizou com a família e fez mutirões de buscas. Contudo, não haviam encontrado nenhuma pista até a última segunda-feira.

Nas redes sociais, dezenas de pessoas compartilham mensagens de dor e revolta com o crime, e muitos deles compartilharam a imagem da adolescente com a frase: 'Cerejeiras está em luto. Jéssica descanse em paz!'.

A funerária de Cerejeiras responsável por Jéssica, disse às 7h20 desta terça-feira (25) que o corpo ainda não havia sido liberado, e com isso, não poderia informar o horário do velório e o sepultamento.

Acusados:

DELEGADO

No começo da tarde desta quarta-feira, 26, em entrevista coletiva, o delegado Rodrigo Spiça, que preside o inquérito sobre o assassinato de Jéssica Moreira Hernandes, de 17, ocorrido na cidade de Cerejeiras, falou como os suspeitos agiram na morte da adolescente.

Spiça relatou a versão do suspeito Diego Parente, que é primo do namorado de Jéssica, Ismael Silva, de 30 anos.

A VERSÃO

Em depoimento, Diego disse ao delegado que, apesar de ser casado, nutria certo apreço pela vítima. Isso desencadeou uma ideia de tentar impor à vítima que seu namorado a estava traindo. Ele afirmou que tinha provas para mostrar a ela, através de mensagens. Porém, disse a mesma coisa para Ismael, que Jéssica estava traindo ele e que ele poderia provar. Com isso, a intenção era fazê-los brigar e ele ter alguma chance com a Jéssica.

Contudo, Diego arquitetou um plano para levar Jéssica até uma casa, que ele sabia que não havia ninguém naquele horário para que mostrasse a ela as mensagens.

Disse a mesma coisa para Ismael, que ele tinha como provar que ela o tinha traído. Diego marcou com Jéssica de se encontrarem por volta das 08h30 de quinta-feira, 20.

Ao se encontrarem, Diego disse a Jéssica que não poderiam conversarem na rua, pois alguém poderia ver e contar para Ismael que naquele momento estava no trabalho. Mas Ismael já tinha combinado com Diego de ir à casa por volta das 09h para saber das provas.

Diego e Jéssica foram até a casa. Dentro do imóvel, Diego colocou Jéssica sentada, de costas para a porta, de forma que quando Ismael chegasse, ela não o veria. Na residência, Diego fez algumas insinuações, forçando a jovem a admitir que já tivesse traído Ismael, que, segundo ele, seria normal. E assim foi: de acordo com Diego, Jéssica admitiu que também traiu Ismael.

Diego havia deixado o portão da casa semi-aberto e a porta para que Ismael tivesse acesso sem chamar a atenção.

Quando Jéssica disse que havia traído Ismael, ele estava entrando na casa e tinha em sua mão uma barra de ferro, no qual pelas costas bateu na cabeça dela, que desmaiou e caiu no chão.

Em seguida, a arrastou para um canto da casa. Diego teria dito: “Você vai matar a menina? Pára com isso”. Porém, Ismael já estava de posse de uma faca, e percebeu que Jéssica estava acordando. Ele, então, a puxou pelo braço e desferiu uma facada no tórax, e em seguida mais duas facadas no pescoço. Ele ameaçou Diego para se livrar do corpo e, caso se negasse, iria matá-lo também.

Ismael saiu da casa e algum tempo depois voltou com um carro de carroceria. Ambos enrolaram o corpo de Jéssica num plástico, de cor preta, amarraram e desovaram no local onde foi encontrado na última segunda-feira, 24. Depois, Ismael voltou ao trabalho e Diego limpou a casa onde haviam respingos de sangue.

Com relação à bicicleta, Diego disse ter desmontado e jogado dentro de um poço no quintal da residência. Segundo o delegado, esta é a versão do Diego, que será confrontada com a versão de Ismael.

O delegado Regional Fábio Campos e policiais civis estão fazendo buscas em diversos locais da cidade para colher provas. Uma equipe dos bombeiros está na casa para tentar resgatar a bicicleta que, segundo Diego, foi jogada no poço, desmontada.

Esta versão inocenta a mulher de Diego, que também tinha sido presa como suspeita no crime. Ela será liberada nas próximas horas.

Agências

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas