PUBLICIDADE
publicidade Câmara Municipal de Poço de José de Moura
PUBLICIDADE
publicidade Geral

Morre indonésio que dizia ter 146 anos

Mbah Ghoto havia sido hospitalizado em 12 de abril, com a saúde debilitada. Seis dias depois, ele insistiu em ir para casa
Fábio Barbosa  |  01/05/2017 19:55
noticia Morre indonésio que dizia ter 146 anos
noticia Morre indonésio que dizia ter 146 anos

O indonésio que dizia ter 146 anos - o que faria dele o homem mais longevo do mundo - morreu em seu vilarejo em Java Central. De acordo com seus documentos, Sodimedjo, também conhecido como Mbah Ghoto (avô Ghoto), nascera em 1870.

A Indonésia, no entanto, só começou a registrar oficialmente os nascimentos em 1900 - e vários erros foram cometidos antes disso.

Ainda assim, autoridades que entrevistaram o idoso e analisaram seus documentos informaram à BBC que seu registro é válido.

Mbah Ghoto havia sido hospitalizado em 12 de abril, com a saúde debilitada. Seis dias depois, ele insistiu em ir para casa.

"Desde a volta do hospital, ele se alimentava apenas de mingau e bebia muito pouco", contou à BBC seu neto Suyanto.

"Isso durou apenas dois dias. Daquele momento até sua morte, ele se recusou a comer e beber".
Paciência e amor

Quando questionado sobre o segredo de sua longevidade, Mbah Ghoto respondeu à BBC, no ano passado, que paciência era essencial e que ele tinha vivido uma longa jornada "porque era cuidado por pessoas que o amavam".

Fumante compulsivo até o fim, ele viveu mais que suas quatro esposas, seus dez irmãos e todos os seus filhos - cujo número não é conhecido.

Em seu vilarejo, ele se tornou um herói local por contar ótimas histórias sobre as guerras contra o Japão e os colonizadores holandeses.

Segundo o neto Suryanto, o avô foi enterrado nesta segunda-feira num túmulo comprado vários anos antes.

"Ele não pediu muito. Antes de morrer, ele queria apenas que nós, sua família, o deixássemos ir", contou o neto.

Se confirmada sua idade oficialmente, o Mbah Ghoto terá vivido mais do que a centenária francesa Jeanne Calment, que tinha 122 anos quando morreu, em 1997, e é considerada até hoje o ser humano mais longevo da história.

BBC Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
publicidade Quatro Internas