GENTE

Estudante de fisioterapia agredido morre em hospital em MG
A vítima apresentava quadro de saúde gravíssimo e morreu na tarde desta segunda-feira (11). O fato aconteceu na quarta-feira (6).


Reprodução / Redes Sociais

Morreu o estudante de fisioterapia, de 25 anos, que foi internado após ser agredido por outro universitário, de 22, na noite do dia 6 de outubro, em Montes Claros. Ele apresentava quadro de saúde gravíssimo e, conforme o hospital, faleceu na tarde desta segunda-feira (11), depois de serem feitos exames e procedimentos que constataram inatividade cerebral. A família dele manifestou interesse em fazer doação de órgãos.

O g1 conversou com um amigo de Adailson Gomes Mendes, que também é estudante de fisioterapia e prefere o anonimato, por medo de represálias. Ele diz ter presenciado as agressões e conta que, naquele dia, foi com a vítima e outros amigos em um bar, como era de costume. O estabelecimento fica ao lado da faculdade onde estudam, no bairro Ibituruna. Lá, também estavam o suspeito e colegas dele.

 

Fomos para conversar e espairecer, depois da aula e do estágio. Em dado momento, o rapaz que agrediu meu amigo falou algo comigo, em tom agressivo, brigando. Eu havia feito um comentário sobre sinuca e ele não gostou. Adailson estava longe e, quando se sentou à mesa novamente, falei sobre o ocorrido. Ele, então, ficou revoltado. Nós continuamos conversando, jogando, nos divertindo”, explicou.

O jovem lembrou que, horas após, quando ele e o grupo próximo pagaram a conta com o objetivo de irem embora, Adailson questionou o estudante.

“O agressor, há tempos, soltava brincadeiras sem graça e provocadoras. Talvez Adailson estivesse guardando essas provocações. Naquele momento, imagino que o autor se sentiu corajoso para agir contra Adailson. E tem o efeito do álcool ainda. Em questão de segundos, vi um vulto. Era o momento em que meu amigo levou um soco e caiu, batendo a cabeça no chão. Foi uma queda muito forte, fez um barulho muito alto”, contou.

 
Ele ainda disse que, antes de o Samu chegar, estudantes de medicina que passavam perto do local prestaram socorro à vítima. Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência constataram traumatismo cranioencefálico grave e precisaram intubar o paciente, encaminhando-o, depois, para a Santa Casa.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM