PARAÍBA

João Pessoa perde 37 posições e deixa de ser a cidade mais competitiva do NE, indica estudo


Ranking de Competitividade dos Municípios analisa 65 indicadores. Capital da Paraíba era a única do Nordeste no Top 100 em 2020, mas agora está em 107º, atrás de Recife e Sobral-CE. Com problemas na área de saúde, João Pessoa perde 37 posições no Ranking de Competitividade dos Municípios
Gilberto Firmino-PMJP/Divulgação
João Pessoa, a capital da Paraíba, saiu do Top 100 do Ranking de Competitividade dos Municípios, que é realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), e agora ocupa a 107ª colocação, 37 posições atrás daquela que ocupava em 2020, quando foi publicada a primeira edição do ranking. Realizado em parceria com o Sebrae e com a empresa Gove Digital, o estudo analisa 65 indicadores de todos os 411 municípios do país que têm ao menos 80 mil habitantes.
Relembre a posição de João Pessoa no ranking de 2020
A capital perdeu o posto de cidade mais bem avaliada do Nordeste para Recife, que, em sentido contrário, melhorou 45 posições e agora está em 55º. Aliás, Recife e Sobral, no interior do Ceará, que está em 83º, são as duas únicas cidades da região que estão entre as 100 cidades mais competitivas do país.
No ranking anterior, era João Pessoa a única cidade nordestina no Top 100. De acordo com o estudo, a cidade teve queda expressiva no desempenho da área de saúde, o que acabou sendo determinante para a sua perda de posições. Para cima, uma das únicas variações positivas de João Pessoa foi no quesito inserção econômica
Na Paraíba, ainda foram avaliadas os municípios de Campina Grande, Patos, Santa Rita e Bayeux. Com destaque para Campina Grande, que melhorou 23 posições e agora ocupa a 164ª colocação. Patos, por sua vez, subiu uma posição e atingiu a 303ª colocação.
Em sentido contrário, Santa Rita caiu 36 psoições e agora é o 362º colocado e Bayeux caiu 41 posições e está em 381º no ranking geral.
Top 10 do Nordeste no Ranking de Competitividade dos Municípios
Reprodução/RCM
Todos os municípios foram avaliados a partir de 65 indicadores, distribuídos em 13 pilares temáticos e três dimensões (instituições, sociedade e economia). São avaliados pilares como sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, meio ambiente, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento básico, inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano e telecomunicações.
O ranking foi lançado nesta segunda-feira (22) em São Paulo. Os dois primeiros colocados são municípios do interior Paulista, com Barueri em primeiro lugar e São Caetano do Sul em segundo. A terceira colocação ficou com Florianópolis, capital de Santa Catarina.
Contabilizando apenas capitais, Florianópolis, São Paulo e Vitória ocupam as três primeiras colocações. Belém ocupa a última colocação entre capitais.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM