POLÍTICA | ELEIÇÕES 2022

PF cumpre mandados contra Cid e Ciro Gomes por esquema de corrupção
Operação deflagrada nesta quarta combate fraudes e corrupção em obra do estádio Castelão em Fortaleza, no Ceará.


Gabriele Doro/MyPhoto Press/Folhapress/

A Polícia Federal cumpre nesta quarta-feira (15) mandados de busca em endereço de Ciro Gomes (PDT) e seu irmão, o ex-governador do Ceará e senador Cid Gomes. As ações fazem parte de uma operação contra um esquema de fraudes, exigências e pagamentos de propinas a agentes políticos e servidores públicos no procedimento de licitação para obras n o estádio Castelão, em Fortaleza (CE), entre 2010 e 2013.

Segundo a PF informou no pedido enviado à Justiça para realização da operação, o presidenciável do PDT e seu irmão são parte de uma "associação criminosa" atuante no Ceará para beneficiar empresários.

 
Outro irmão da dupla também foi citado, Lúcio Ferreira Gomes. Além deles, outros três políticos também foram alvo.
 

Os atos sistemáticos de corrupção delatados resultaram em massivos ganhos para a empreiteira e, como contrapartida, possivelmente proporcionaram o enriquecimento ilícito dos agentes públicos beneficiários, num esquema que permeou as duas gestões consecutivas do ex-Governador CID FERREIRA GOMES no Estado do Ceará", afirma a PF.

Integram a ação 80 policiais federais no cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal, em residências de Fortaleza (CE), Meruoca (CE), Juazeiro do Norte (CE), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e São Luís (MA). O objetivo é apreender mídias digitais, aparelhos celulares e documentos.

"As investigações tiveram início no ano de 2017, sendo identificados indícios de esquema criminoso envolvendo pagamentos de propinas para que uma empresa obtivesse êxito no processo licitatório da Arena Castelão e, posteriormente, na fase de execução contratual, recebesse valores devidos pelo Governo do Estado do Ceará ao longo da execução da obra de reforma, ampliação, adequação, operação e manutenção do Estádio Castelão. Apurou-se indícios de pagamentos de 11 milhões de reais em propinas diretamente em dinheiro ou disfarçadas de doações eleitorais, com emissões de notas fiscais fraudulentas por empresas fantasmas", explica a PF.

 
Após a operação, a investigação continuará com base no material apreendido. Entre os crimes que poderão responder, está lavagem de dinheiro, fraudes em licitações, associação criminosa, corrupção ativa e passiva.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   24/05/2022 17h09

Uiraúna - PB
 




POLÍTICA  |   24/05/2022 13h38

Bernardino Batista - PB
 

POLÍTICA  |   23/05/2022 13h39