GERAIS

A Caçada Selvagem: o mito dos cavaleiros fantasmas

Já imaginou estar andando tranquilamente por um vasto campo gramado durante a noite e, de repente, vislumbrar um grupo de caçadores selvagens fantasmagóricos liderados por um cavaleiro igualmente assustador? Essa é a visão de quem relata ter visto a procissão da Caçada Selvagem - em inglês, Wild Hunt -, uma história mitológica contada há muitas décadas em muitos lugares.

O que é a Caçada Selvagem?


Esse mito europeu descreve um grupo de cavaleiros como presságio de destruição.

Antes de entendermos a origem desse mito, vamos conhecê-lo um pouco melhor.

A Caçada Selvagem é uma antiga crença folclórica europeia que descreve um grupo de cavaleiros espectrais e fantasmagóricos que saem para caçar durante a noite. O mito conta que eles cavalgam pelos céus ou pela terra acompanhados de pássaros carniceiros, cães de caça selvagens, valquírias, elfos da noite e outras criaturas assustadoras.

Os relatos contam que essa visão é um presságio para catástrofes, geralmente acontecendo antes de períodos de batalhas sangrentas e guerras entre reinos, pragas e fome. Além disso, aquele que havia testemunhado os cavaleiros certamente morreria ao contemplar tal cena.

Algumas tradições também afirmam que aqueles que veem a Caçada Selvagem são abduzidos pelos cavaleiros. Essas vítimas seriam arrastadas para um reino de fadas fantasmagóricas ou se veriam forçados a se juntarem à cavalaria nessa caça eterna.

Também é importante destacar que o líder da Caçada Selvagem sempre é algum personagem de renome. Odin, o deus supremo de Asgard, é a figura mais comum, mas variações desse mito mencionam outros deuses, heróis mitológicos e até o diabo como um dos cavaleiros principais desse grupo.

Origem do mito


Jacob Grimm, escritor do século XIX, foi um dos maiores responsáveis pela propagação desse mito.

Como diversas histórias mitológicas, é praticamente impossível precisar a origem de sua propagação. As Crônicas Anglo-Saxônicas, um dos registros escritos mais antigos dos anglo-saxões, menciona a Caçada Selvagem no ano de 1127. Em 1673, Johannes Scheffer no livro Lapponia reconta esse mito com algumas variações, mas trazendo novamente os elementos principais dessa história.

O relato de Hélène Adeline Guerber, de 1895, também menciona Odin liderando uma cavalaria de mortos que traziam tempestades e maus presságios por onde passava.

Porém, o conto que ajudou a popularizar de vez esse mito foi criado em 1835 por Jacob Grimm. O chamado Deutsche Mythologie mistura os elementos do folclore com evidências textuais de relatos mediáveis e alguns da era moderna. Esse compilado ganhou muita popularidade nos anos seguintes, atravessando as décadas e chegando até mesmo aos dias atuais como um renomado conto europeu.

Alguns criticam o método de Jacob Grimm ao misturar tantas fontes folclóricas e históricas para a criação desse mito. Contudo, o seu trabalho foi tão significativo que até hoje a Caçada Selvagem é conhecida em diversas partes da Europa como um mito muito popular.

Variações desse mito


A Caçada Selvagem possui algumas variações em sua história dependendo do país em que é relatada.

França

Na França, esse mito é conhecido como Mesnée d'Hellequin (francês antigo que significa "família de Hellequin"). Os franceses provavelmente adotaram a Caçada Selvagem dos normandos, povo germânico estabelecido no norte do país.

No conto francês, o grupo de cavaleiros é liderado por Hellequin, um emissário mascarado enviado pelo diabo diretamente do inferno. O seu objetivo é recrutar novos integrantes para a caçada, além de levar destruição por onde passa.

Alemanha

Na variação alemã desse mito, a Caçada Selvagem é liderada pelo deus Wotan, uma das principais divindades do panteão anglo-saxônico - uma espécie de equivalente ao Odin nórdico. O grupo também é acompanhado de lobisomens e monstros que não aparecem em outros mitos.

Em vez de simplesmente atacar outras pessoas, a caçada alemã roubava comida e cerveja das casas que invadia. Porém, jovens donzelas ainda representa um alvo para os cavaleiros fantasmas desse conto.

Grã-Bretanha

O relato inglês da Caçada Selvagem possui até mesmo monges como testemunhas que relatam ter visto os cavaleiros indo da cidade de Peterborough até Stamford durante um período de nove semanas. O grupo seria composto por cerca de trinta espectros enormes cavalgando cavalos pretos e até cabras.

Escandinávia

Nos países da Escandinávia, a caçada é geralmente liderada por Odin, mas raramente vista por seres humanos. A passagem do grupo poderia ser reconhecida pelo latido dos cães que acompanham os cavaleiros e a recomendação era se abaixar para não ser atropelado pela matilha e os cavalos que passariam em seguida.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



GERAIS  |   23/05/2022 06h19





GERAIS  |   20/05/2022 12h40