GERAIS

Por que a Índia não se dedica à preservação da riqueza fóssil?

Lar de criaturas desconhecidas e de alguns dos espécimes fósseis mais fantásticos já documentados, a Índia é um dos primeiros destinos de escavação para entusiastas e interessados em registros históricos, apresentando segredos em seu interior que sequer sonharam em ser descobertos. Curiosamente, essa riqueza abrigada no país é oriunda de um certo impossibilidade em incentivar estudos e preservação dos restos antigos, que acabaram se acumulando e se veem na iminência do esquecimento.

No decorrer dos últimos anos, paleontólogos de diversas regiões viajaram para a Índia a fim de iniciar projetos pessoais de escavação. Em pouco tempo, foram descobertos espécimes de uma cobra pré-histórica (Sanajeh indicus), lagartos primitivos e ovos de dinossauros, mas os especialistas encontraram dificuldades de manter a preservação dos artefatos, visto não haver locais onde a limpeza das evidências poderia ser realizada ou meios de transportes adequados para mover materiais delicados.

Estudiosos deduzem que a proteção ao patrimônio geológico no país é comprometida pela falta de financiamento e de investimento por parte de órgãos competentes. Como consequência, equipes preparadas para lidar com o manejo e com os estudos tornam-se cada vez mais escassas, impossibilitando o desenvolvimento de métodos sistemáticos de exploração e permitindo que os mistérios enterrados em solo asiático permaneçam submersos em montanhas e solos desgastados por deslizamentos de terra.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM