GERAIS

Modernistas de 22 exaltaram bandeirantes

"Monstrumento", "Padre Cícero paulista" Não foram poucos os apelidos dados à estátua mais odiada de São Paulo: a imensa figura do Borba Gato, na Avenida Santo Amaro. Em 1963, quando foi inaugurada, as críticas diziam respeito à estética. A obra teria traços grosseiros, semelhantes às peças de barro da arte popular. Seus 13 metros de altura lhe dariam o aspecto de um "bonecão", sem parentesco com monumentos sofisticados de grandes artistas, espalhados pela cidade. À época, seu escultor, Júlio Guerra, defendeu-se das críticas dizendo que procurou "fazer uma estátua que alcançasse o povo". Mas reconheceu: "talvez não seja uma obra de arte".




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



GERAIS  |   01/07/2022 17h00





GERAIS  |   01/07/2022 16h00