POLÍTICA | COLUNA SEMANAL

Coluna Faisqueira - sexta-feira 20 de março


Reprodução

Cadê o trator?
O prefeito Zé Aldemir desmentiu o deputado federal Gervásio Maia (PSB), o mais votado em Cajazeiras, além de chamá-lo de leviano, ao dizer que o mesmo estaria se recusando a receber uma “mufufa” para a compra de um trator e foi mais além: disse que o mesmo veio só fazer turismo em Cajazeiras. Esse negócio de trator e retroescavadeira já deu dor de cabeça em muita gente.

Precisa de orações
Primeiro foi o prefeito e agora é o presidente da Câmara Municipal de Uiraúna, Amilton Fernandes, que foi afastado por 180 dias do mandato, por uma canetada do juiz Francisco Thiago Rabelo, a pedido do Ministério Público, após  ação civil pública de improbidade administrativa. O arrazoado do MP é muito recheado de irregularidades. O vereador deverá recorrer, mas além de um bom advogado, precisa também de muita reza. 

Ausências
Na festa do PSB, em Cajazeiras, na última segunda feira, 16, notou-se a ausência dos vereadores Marcos Barros e Alysson Voz e Violão, considerados os grandes timoneiros do velho PSB, quando Ricardo era o mandatário do estado. Na festa, comandada pelo deputado estadual Jeová Campos (PSB), esteve presente o deputado federal Gervásio Maia.

Ausências 2  
Para os ausentes, no entendimento do deputado Gervásio Maia, sem citar nome de ninguém, disse que eram “os amigos do poder”. Para compensar a perda de ex-aliados, Jeová trouxe para a festa de seu irmão Marquinhos Campos, lançado como pré-candidato a prefeito de Cajazeiras, os vereadores Jucinério Félix e João da Coca, além do suplente e ex-vereador Antonio Galego.

Ausências 3 
Muitos eleitores de Jeová Campos, que têm cargos no estado, não compareceram a sua festa com medo de serem demitidos. Comenta-se que existiam além de alguns espiões, vários celulares fotografando os presentes. Marquinhos Campos poderá aglutinar em torno de seu nome os descontentes do lado do prefeito Zé Aldemir e os da ex-prefeita Denise, além dos votos pessoais de Jeová Campos e do programa de governo. A campanha promete.

João Azevedo
O governador João Azevedo, quando de sua presença em Cajazeiras, para assinar a Ordem de Serviço para a construção da estrada para o Distrito de Engenheiro Avidos, na última quinta-feira, 12, na sua fala “encheu a bola” da sua Secretaria Executiva, Denise Albuquerque, que será a sua candidata a prefeita de Cajazeiras. Tudo isto sob ouvidos atentos do deputado Jeová Campos.

Jeová Campos
O deputado estadual Jeová Campos, em seu discurso, nesta solenidade, deixou claro, que é eleitor do governador João Azevedo, nas matérias da Assembleia Legislativa. Pode “haver” divergências nas questões locais de Cajazeiras, mas na Assembleia não. Vários candidatos a prefeito que Jeová apoia, em outros municípios, ele estará no mesmo palanque com João Azevedo.  É melhor chorar juntos, do que rir separados.   

Sem chuva?
Tudo leva a crer que São José, o santo das chuvas, não gostou muito do cancelamento das missas e procissões em sua homenagem. Na cidade de Cajazeiras, até o momento do fechamento desta edição não tinha caído um só pingo d’água. O vírus também cancelou a festa em homenagem aos 25 anos de ordenação episcopal de Dom José, Bispo Emérito de Cajazeiras.

Sai e volta
A prefeita de Joca Claudino, Jordhana Lopes dos Santos Soares, através de uma liminar está voltando a assumir o mandato de prefeita, depois de uma canetada do juiz Francisco Thiago, que a afastou do cargo por 180 dias. Esta foi a segunda vez. Em dezembro ela já tinha sido afastada. As oposições afirmam que não tem papel que caiba o tanto de irregularidades, dentre elas o de uma construtora consertando trator.

E agora José?
Virou um pandemônio este coronavirus, e está deixando todo mundo louco. Até briga de galo está proibido e por incrível que pareça o Jornal Nacional da rede globo também ficou biruta, ao ponto de noticiar por centenas de segundo o comportamento do presidente da república, Jair Bolsonaro, por está usando uma máscara para se proteger de possíveis vírus. É muito desespero.

Ova de curimatã
Nesta invernada o que tem de peixe subindo as correntezas e nas sangrias dos açudes é algo impressionante e o que tem em abundância é a curimatã, são milhares, que pescadas, retiram-se as ovas das fêmeas e são transformadas em excelentes pratos da culinária do sertanejo. É o único tempo em que se tem oportunidade de saborear o nosso “caviar”, que é bem mais barato e gostoso do que o que vem da Europa.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   21/09/2021 08h10





POLÍTICA  |   18/09/2021 09h04


POLÍTICA  |   17/09/2021 12h27