CIÊNCIA - GERAIS

Morcegos imitam zumbido de vespas para afastar predadores


Reprodução

Exemplos clássicos desse fenômeno, chamado mimetismo, são as moscas da família Syrphidae, que parecem abelhas, ou a cobra falsa-coral. Mas isso não acontece só com características morfológicas e visuais das espécies.

Existe também a imitação de sons, por exemplo. Recentemente, um grupo de cientistas se deparou com um desses casos raros: eles notaram que morcegos da espécie Myotis myotis podem zumbir como vespas e abelhas para afastar corujas.

 
E mais: este seria o primeiro caso documentado de mimetismo entre mamíferos e insetos. Ele foi relatado em um estudo publicado na revista Current Biology, na última segunda-feira (9).

RelacionadasPapo animal: as estratégias brilhantes que os bichos usam para conversarMorcegos carregam dezenas de vírus, mas são imunes a eles. Por quê?Vespas atuam como babás em ninhos vizinhos A investigação foi fruto de um episódio ocorrido há duas décadas. Danilo Russo, um dos autores do estudo, estava capturando morcegos em Lazio (Itália) para pesquisas sobre ecolocalização, e percebeu que os animais zumbiam quando ele se aproximava.

Aí começaram as suspeitas de que eles usariam o mimetismo para evitar predadores. Para tirar isso a limpo, Russo se juntou a outros pesquisadores para fazer experimentos que incluíram o morcego M. myotis, duas espécies de abelhas, duas de vespas e duas de corujas - todos comuns no habitat do morcego.

Depois de analisar a semelhança entre os zumbidos dos insetos e os sons feitos pelos morcegos quando se sentiam ameaçados, os cientistas observaram o comportamento das corujas conforme reproduziam diferentes áudios - zumbidos dos insetos, zumbidos dos morcegos ou barulhos comuns do mamífero.

As corujas geralmente se afastavam do alto-falante quando escutavam quaisquer zumbidos (seja dos insetos ou dos morcegos) e ficavam em posição de alerta ou fuga. Já o barulho comum dos morcegos fazia as corujas se aproximarem, assumindo posição de ataque.

Os cientistas também perceberam que essa resposta espacial foi mais pronunciada entre corujas selvagens do que entre aquelas criadas em cativeiro. As observações estavam de acordo com a hipótese da equipe de que os morcegos M. myotis desenvolveram os zumbidos, ao longo de sua evolução, para imitar insetos que seus predadores geralmente evitam.

 
Ao ouvir um som semelhante ao de uma vespa, as corujas pensariam duas vezes antes de avançar na direção de um morcego, dando tempo para ele fugir do predador.

Alguns cientistas não envolvidos na pesquisa, por outro lado, reconheceram a similaridade entre os zumbidos produzidos pelos morcegos e pelos insetos, mas afirmaram ser difícil de determinar se um sinal (como estes, acústicos) evoluiu a partir do mimetismo.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM