GERAIS

Nova ferramenta do Google identifica superfícies em tempo real

A nova ferramenta do Google em parceria com a organização sem fins lucrativos World Resources Institute é capaz de identificar os recursos presentes na superfície da Terra quase em tempo real. A empresa acredita que a ferramenta Dynamic World ajudará governos e pesquisadores a tomarem providências mais eficazes para combater as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade.


Os cientistas por trás da ferramenta publicaram um artigo detalhando o funcionamento da tecnologia. Ela usa um sistema de machine learning (aprendizado de máquina) conhecido como "aprendizado hierárquico" somado a imagens do satélite Copernicus Sentinel-2 para desenvolver um mapa de cobertura da Terra em alta resolução que diferencia terrenos com características específicas – como árvores, grama, plantações, água ou construções.


Os mapas globais atuais de cobertura do solo podem levar meses para serem produzidos e, normalmente, fornecem dados apenas mensalmente ou anualmente, relata a empresa no anúncio. Segundo eles, mais de 5.000 imagens do Dynamic World são produzidas todos os dias, resultando em dados de superfície que vão desde junho de 2015 até poucos dias atrás.

O Dynamic World também se diferencia pela precisão da diferenciação de terreno. Enquanto os mapas tradicionais atribuem um único tipo de terreno a determinada área (uma generalização baseada em qual é mais predominante), a ferramenta faz uma nova classificação a cada 102 metros quadrados – um espaço pouco maior do que a pequena área de um campo de futebol. São nove tipos de terreno: água, vegetação inundada, construções, árvores, plantações, solo nu, grama, arbustos e neve/gelo.


A imagem acima, por exemplo, mostra uma visão da cidade do Rio de Janeiro. As partes vermelhas representam construções; as verde-escuras, árvores; amarelas são arbustos; e azuis, corpos d’água.

Com informações precisas e atualizadas desse tipo, a empresa acredita que a monitoração e entendimento de ecossistemas e terrenos será beneficiada; e, por consequência, será possível traçar previsões e políticas mais eficazes para proteger o planeta no futuro.


Se o mundo deve produzir o que é necessário da terra, proteger a natureza que resta e restaurar parte do que foi perdido, então precisamos de monitoramento confiável e quase em tempo real de cada hectare do planeta, diz Craig Hanson, vice-presidente de alimentos, florestas, água e oceano no World Resources Institute, no anúncio do Google.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM