GERAIS

Morcegos selvagens se lembram de toque de celular após quatro anos

A memória dos morcegos pode ser melhor do que você imagina.

Pesquisadores treinaram 49 morcegos selvagens da espécie Trachops cirrhosus para associar um toque de celular a uma recompensa em comida. Quatro anos depois, alguns deles ainda reconheciam o som e voavam em direção ao lanchinho - enquanto morcegos não familiarizados com o alerta sonoro simplesmente o ignoraram.

Essa espécie comum na América Central e do Sul se alimenta de insetos e sapos, que encontra seguindo seu coaxar de acasalamento. Os morcegos conseguem diferenciar os chamados de várias espécies de sapos para não comer os venenosos.

Para investigar como esses mamíferos voadores aprendem os chamados de suas presas e por quanto tempo podem reter essas informações, a pesquisadora May Dixon, da Universidade Estadual de Ohio (Estados Unidos), reuniu-se com colegas para treinar morcegos capturados na natureza. Os resultados do estudo foram publicados na revista Current Biology.

Relacionadas
Morcegos imitam zumbido de vespas para afastar predadoresMorcegos adquirem senso de direção com ajuda de suas mães, indica estudoSapo brasileiro é o primeiro anfíbio "bígamo" e fiel às suas companheiras
Os morcegos foram primeiro expostos ao coaxar de sapos que são suas presas comuns. Acima dos alto-falantes, eram colocados pedaços de comida - assim, quando os morcegos ouvissem o coaxar e voassem na direção do som, encontrariam uma refeição de qualquer jeito.

Com o tempo, os pesquisadores substituíram o coaxar por um toque de celular e mantiveram a dinâmica da recompensa. Eles também passaram a tocar outros três toques para os morcegos, sem associá-los a um lanche. Entre 11 e 27 dias de treino, os morcegos aprenderam a diferença entre toques que podiam ser ignorados e toques que significavam refeição grátis.

Quarenta lanches depois, os morcegos foram microchipados para identificação posterior e devolvidos à natureza.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM