COVID-19

Auxílio Emergencial de julho e agosto será dividido em 3 parcelas
Desta forma, o governo planeja passar a sensação de prolongamento do recurso para quem necessita do auxílio. Na prática, os valores são os mesmos.




Reprodução

O governo federal decidiu dividir o valor do auxílio emergencial de julho e agosto em três parcelas. No mês de julho, as pessoas irão receber o valor normalmente, em uma parcela de R$ 600. Já em agosto, o valor de R$ 600 será dividido em duas parcelas, sendo uma no começo do mês e outra no fim.

Desta forma, o governo planeja passar a sensação de prolongamento do recurso para quem necessita do auxílio. Na prática, os valores são os mesmos.

"Temos aquele dilema. Ou você dá um valor alto por pouco tempo ou dá valor mais baixo e estica um pouco. Vamos por essa solução", disse o Ministro da Economia, Paulo Guedes , nesta terça-feira (30).

"A lei obriga o pagamento de R$ 600 em um mês e R$ 600 no outro. Então vamos fazer três meses de cobertura, com dois pagamentos em um mês", argumentou Guedes .

 
O valor de cada parcela dos R$ 600 que serão entregues em agosto ainda não foi anunciado. Sobre o assunto, o ministro da Economia afirmou que "Todos sabem que se gastar gasolina demais, o tanque acaba mais rápido. Programas que poderiam se estender por mais tempo, acabam pressionando fiscalmente e você então tem que ceder. Ao invés de colocar R$ 600, de repente tem que colocar um número mais baixo para poder alongar mais. Se quer cobrir três ou quatro meses, precisa pagar um valor menor, senão o País estoura".




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



COVID-19  |  09/07/2020 - 06h





COVID-19  |  08/07/2020 - 07h