SAÚDE | EM ALERTA

População teme que morte em Tenente Ananias tenha sido causada por variante indiana


Reprodução / Instagram

A população do município de Tenente Ananias, no Alto Oeste Potiguar, está assustada com as mortes de Cleyton Sarmento e Wilck Vieira vítimas de covid-19. Ambos são crediaristas e vieram recentemente dos estados de Pernambuco e do Maranhão, este último é onde inicialmente foram identificados os primeiros casos da nova variante Indiana da Covid-19 no Brasil.

A própria prefeita de Tenente Ananias, Larissa Rocha, confirmou que a população está preocupada com a possibilidade de confirmação da cepa Indiana.

 
A gestora divulgou uma nota de pesar nas redes sociais, onde consta o nome dos dois cidadãos do município, que viajavam frequentemente para outros estados do país e acabaram sendo vítimas da Covid-19. 

Larissa Rocha, disse que recebeu com tristeza a informação da morte desses dois jovens e afirma que eles não contraíram o vírus em Tenente Ananias e sim nos estados onde estavam trabalhando. 
 

Recebemos com tristeza a informação da morte desses dois jovens, que eram crediaristas e que, não contraíram o vírus em Tenente Ananias, e sim nos estados onde estavam trabalhando. Com relação a possível especificidade do vírus que os contaminou, não tenho o que acrescentar uma vez que a Secretaria Municipal de Saúde não recebeu qualquer notificação sobre o assunto” disse a prefeita.

Ainda de acordo com a prefeita Larissa, a amostra de um dos pacientes foi encaminhada para análises de sequenciamento genético pela Secretaria de Saúde Pública (Sesap) a Fiocruz e ao Instituto Evandro Chagas, com a finalidade de investigar possível contaminação pela nova variante.

O último boletim epidemiológico da cidade de Tenente Ananias foi divulgado ontem (31) e notificou 25 pessoas suspeitas, 34 em isolamento, 04 internados e 23 óbitos pela Covid-19.

 
Larissa Rocha acrescentou ainda que assim que tiver o resultado dos exames para a identificação da nova variante irá informar a população. “Trabalhamos com transparência” afirma.

VEJA
 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM